Saiba mais sobre o uso de cookies

ATENÇÃO ! Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização.

«A psicose, os demónios e a minha linda filha», Jornal «Público», 03/05/2015

«A psicose, os demónios e a minha linda filha», Jornal «Público», 03/05/2015
11:39:42 13-05-2015 Sentido de Si

Descrição

Hoje o Jornal o «Público» destaca uma notícia que não podemos deixar de partilhar: «A psicose, os demónios e a minha linda filha».

Do relato da mãe lê-se: «Perdi a minha querida filha na luta contra a doença mental. Suicidou-se a poucas semanas de fazer 29 anos...»

No Blog da Sentido de Si, na crónica «Mas porquê o Suicídio», referia-se o elevado número de portugueses que morriam por dia por suicídio (1 dia = 3 mortes). 

Referia-se ainda que o suicídio é a 2ª causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos! Que 90% das pessoas que se mataram no mundo tinham alguma doença mental.

Eis esta notícia, mais um exemplo - de uma mãe que conta a história da filha, que tinha uma doença mental, e que se suicidou:

Tudo corria bem com a Natálie até que aos 22 anos teve o 1º surto psicótico. 

"Natalie argumentava que estava óptima e que “todos os outros estão loucos" sic Jornal o Público (03/05/2015)

Iniciou o tratamento e melhorou, mas uns dias sem os tomar e os «demónios» voltavam.

Conseguiu terminar a licenciatura e as coisas pareciam correr bem. a melhoria era tão visível que referia que já não estava doente.

Porém, este «desejo» levava a que quisesse deixar de tomar a medicação... sempre que isto acontecia Natalie piorava com recaídas cada vez mais graves.

Passou por um período em que acreditava que a medicação funcionava, partilhando até publicamente a sua história num documentário, para outro em que parecia convencida que ela era aquela pessoa em cada quatro com distúrbios psíquicos cujos sintomas só melhoram muito tenuemente, ou não melhoram de todo, com os medicamentos.

Apesar desta sua avaliação parecia «feliz e saudável», sem sintomas aparentemente... apesar de referir que ninguém imaginava o que era a sua mente.

Aos 28 anos deixou de vez de tomar a medicação... semanas antes de fazer 29 anos suicidou-se!

A mãe de Natalie refere que a filha foi a pessoa mais corajosa que ela conheceu.

Um investigador do Johns Hopkins Hospital referiu, e passamos a citar, que "Ela ajudou-nos a olhar para as doenças mentais com o respeito, a compaixão e a dignidade que merecem.”

A história de 6 anos de uma vida, de uma jovem, a lutar contra os sintomas de uma doença crónica e incapacitante como é a psicose.

Terminamos esta partilha com a frase que alguém proferiu e que a notícia cita: "Entristece-me que tantas pessoas não percebam que as doenças mentais, apesar de serem tratáveis, não são curáveis e podem matar.”Jornal o Público (03/05/2015)

Sentido de Si? Viver feliz por ser saudável, quem o é. Tentar viver cada vez melhor consigo próprio, a cada dia, quem tem um problema de saúde mental.      


Tags:

Partilhar


Comentários

Assine a Newsletter e junte-se a nós!

Ajude-nos a encaixar as peças!

Divulgue connosco

Divulgue aqui

Rede de Parceiros

  • InvoiceXpress
    ACEGIS
  • Freguesia de Mafamude e Vilar do Paraíso
    GoUpBuzZ.com
  • Mafalda Palolo
    Banco de Inovação Social